Maio de 2015.

Então com 27 anos, enquanto me recuperava de uma cirurgia, soube que acontecia a etapa brasileira de uma das mais difíceis provas de triatlo do mundo: o Ironman Florianópolis. Eu não entendia nada de triatlo, nem mesmo sabia nadar. Porém, lembrei do médico que tratou do meu refluxo dizendo que eu deveria sair do sedentarismo. Pensei, quase como um devaneio, “Quem sabe, um dia, eu faço esse tal de Ironman!”

E não é que que aquilo que parecia uma divagação se tornou um sonho? Encontrei ali o motivo que eu precisava para me exercitar, sair da inércia e da famosa – e clichê – zona de conforto, cuidar mais e melhor da minha saúde. Coloquei um prazo: antes de completar 30 anos. Ou seja, teria que sair do sobrepeso e me tornar um Homem de Ferro em 24 meses.

Num passeio pelo Parque Ibirapuera, conheci a Ztrack. Comecei a correr, comprei uma bicicleta, e, pela milésima vez na vida, me matriculei numa academia. Além disso, precisava aprender a nadar. Foi aí que descobri que tinha (e ainda tenho) uma certa dificuldade com natação e, pior, medo de águas abertas. Nadar no lago ou no mar fazia meu coração disparar, a respiração ficar ofegante e as pernas tremerem. Foi o Leandro, professor de triatlo da Ztrack, o responsável pelo “milagre” que faltava para eu virar um triatleta.

Provas de longa distância exigem disciplina, foco e dedicação. Treina-se quase todos os dias da semana, às vezes mais de uma vez ao dia, afinal, são três modalidades, sem contar musculação. Fim de semana não tem descanso: tem longão, que pode chegar a ser 30Km de corrida ou 160Km de ciclismo, muitas vezes sozinho. É um exercício físico e mental. Não é fácil.

Se a superação está nos treinamentos, a prova é a recompensa. E ela veio no dia 28 de maio de 2017, naquela mesma Florianópolis. Nos momentos que antecedem a largada, a ansiedade se faz presente. Durante a prova, o cansaço e as dores se misturam com o prazer e alegria de fazer algo que você se preparou muito para concretizar. Ao cruzar o pórtico, depois de 3,8Km de natação, 180Km de ciclismo e 42,2Km de corrida, um sentimento de felicidade e satisfação toma conta do seu corpo, da sua mente e do seu coração. Foram 226Km conquistados e a certeza de que todo esforço valeu muito a pena, resumido nas palavras “Parabéns, você é um IRONMAN!”

Hoje, sinto-me uma pessoa diferente. Não, ser um Homem de Ferro não me tornou melhor que os outros, mas me possibilitou ser uma versão melhor de mim mesmo. Criei o costume de ir para o trabalho de bike, continuo com a natação e as corridas, seja nas primeiras horas da manhã ou quando a maioria está em casa vendo novela. Isso não é um sacrifício, é liberdade. E liberdade não se trata de viver sem responsabilidade, pelo contrário: é ser responsável por fazer aquilo que você quer fazer, sem que nada ou ninguém te imponha.

Completo 30 anos de idade neste mês de setembro com a sensação de sonho realizado. Nesses quase 2 anos de Ztrack, fui do sedentarismo a inúmeras corridas de 10K, cinco meias-maratonas, duas maratonas, um Triatlo Olímpico, um Triatlo Long Distance e o Ironman, além de ter motivado amigos e familiares a praticarem atividades físicas e cuidarem mais da saúde.

Sei que isso tudo ainda não acabou. Afinal, quando um esporte vira o seu estilo de vida, não existe linha de chegada.

Ives Pereira da Silva – Aluno Ztrack